Desculpem o desabafo

Ontem de madrugada (hoje), umas 00h30, o silêncio imperava aqui no bairro quando escutei um cachorro sofrendo na rua. Saí na varanda do meu apê e vi um filho da puta maltratando o animal, dando soco no focinho, puxando ele pela coleira e deixando pendurado… cena horrível.

Comecei a discutir com o vagabundo, eu na sacada do 6º andar e ele na rua, uns 2 minutos. O cara disse que não era eu que cuidava, que não era eu que dava ração e se eu queria pegar pra mim o cachorrinho. Muito irônico.

Por 10 segundos eu não desci pra matar esse fdp!

Aliás, cadê aquela vadia que torturou o Yorkshire até a morte? Completou um ano dessa barbárie e ninguém fala mais nada. Com certeza deve estar solta e batendo em mais cachorro.

Desculpem o desabafo, não me conformo como existem pessoas assim.

Anúncios

26 de abril, dia do goleiro

Parabéns aos times que têm goleiros em suas metas. Nós temos uma entidade na nossa =)

Bíblia do são-paulino

Bela iniciativa do Tricolor, hein?

No mês de maço, o clube vai lançar a “Bíblia do São-paulino“, obra que possui um livro com toda a história do São Paulo Futebol Clube, desde o início lá na década de 30 até os dias de hoje. Além disso, a caixa terá reproduções de produtos para relembrar as glórias do passado – que está na letra do hino, claro, – ou conhecer mais sobre o Tricolor.

Um dos autores é Michael Serra (@michaelserra), historiador super competente do São Paulo e que já me ajudou bastante em muitas matérias que tive que fazer para o iG. Manja demais. Rui Branquinho é o outro autor.

O valor do box é R$ 159,90. Aceito de presente =)

Alguns dos itens que estarão na caixa:

• Jornais e revistas com as manchetes das grandes conquistas e cartaz do Mundial Interclubes;
• Cartão-postal do Estádio do Morumbi e cartão assinado por Cícero Pompeu de Toledo;
• Aviso aos sócios sobre a inauguração do estádio, assinado por Laudo Natel;
• Carteirinha de Careca, RG de Leônidas da Silva e ficha cadastral de Adhemar Ferreira da Silva;
• Título de propriedade de cadeira cativa de 1960 e atestado libertatório de Sastre, do Independiente da Argentina;
• Partitura com o hino, de 1966;
• Ingresso autografado do Mundial Interclubes do Japão e jornal japonês após a conquista do Mundial de 2005;
• Diploma do Guiness Book para Rogério Ceni, pelo maior número de gols marcados por um goleiro;
• Carnê da “Campanha do Cimento” para a construção do estádio, de 1953;
• Ingressos do primeiro jogo do Morumbi, dos Mundiais de 92 e 93, da final da Libertadores de 92 e do milésimo jogo de Rogério Ceni;
• Cards comemorativos da Série Morumbi 50 anos;
• Livreto do São Paulo em homenagem a Eder Jofre.

Cabe na seleção brasileira?

Nesta sexta-feira publiquei uma matéria no iG sobre o Borussia M’gladbach. O time alemão é o que tem a defesa menos vazada da Europa – levou só 12 gols em 20 partidas disputadas -, ficando na frente de supertimes como Barcelona, Juventus e Manchester City.

Leia o texto clicando aqui

Para falar sobre esse momento especial da equipe na temporada, conversei com o zagueiro brasileiro Dante, um cara bastante solícito, bem articulado nas palavras, sabe o que quer da vida…

Acompanho bastante os jogos do M’gladbach e, sinceramente, acho que o Dante não fica devendo em nada para qualquer defensor brasileiro. Talvez Thiago Silva, do Milan, seja hoje o melhor zagueiro que o Mano Menezes possa contar na seleção brasileira. Mas não vejo, por exemplo, o David Luiz, do Chelsea, melhor que o Dante.

Tem o Dedé, do Vasco, que é um baita jogador também.

Aos 28 anos de idade, por que não dar uma chance para o cara? Só porque não é muito conhecido aqui? Amistosos até a Copa do Mundo de 2014 é o que não vai faltar para seleção. Fica a sugestão.

O épico São Paulo 4 x 3 Union Española

Sabe aquelas sugestões de vídeos que o Youtube oferece do lado direito quando você está navegando no site? Então… apareceu para mim uma reportagem do épico São Paulo 4 x 3 Union Española, no segundo jogo das quartas de finais da Copa Libertadores de 1994, no Morumbi. Do nada.

É claro que eu cliquei. E me arrepiei, como se estivesse vendo a partida ao vivo. Eu era bem jovem (ainda sou jovem, diga-se de passagem), lembro que o jogo aconteceu numa tarde de quarta-feira, estava frio. Assisti o jogo pela TV e considero, até hoje, um dos melhores duelos que já acompanhei na vida.

Dá só uma olhada no vídeo. A narração do Galvão Bueno no segundo gol tricolor é sensacional. Golaço do Válber. Que timaço.

Depois de passar pelos chilenos, o Tricolor bateu o Olímpia, do Paraguai, na semifinal, e perdeu do Vélez Sarsfield na decisão – eu estava lá no Morumbi. Chilavert maldito.

No ano seguinte, o São Paulo contratou o meia Sierra, do Union Española, mas ele não vingou. Serviu para fazer um gol no clássico contra o Corinthians. Só.

Eu e os esquilos

Passar uns dias em Nova York e Orlando é demais. Melhor ainda é ter experiências com coisas que não existem aqui no Brasil, como os esquilos, por exemplo. Quem já visitou os Estados Unidos sabe que os roedores são tão comuns por lá como as pombas são por aqui, aparecem em todo canto.

Interagi em três oportunidades com esses bichinhos, foi muito bacana. É impressionante como eles são espertos.

O primeiro esquilinho do vídeo aí de cima é do Central Park, em Nova York. O segundo, também na cidade mais populosa dos EUA, encontrei no Battery Park, local onde se pega a balsa para chegar à estátua da Liberdade. O último é do Epcot Center, em Orlando.

Por falar em Orlando, não perdi a chance de tirar uma foto com Tico e Teco no Magic Kingdom, né? A dúvida é saber quem é o Tico e quem é o Teco =)

Luis Fabiano, the best striker

Depois de um 2011 cansativo, aproveitei para começar 2012 tirando férias. E para mim, férias não é sinônimo de praia, sol, areia, cerveja, calor… muito pelo contrário. Arrumei as malas e vim para Nova York curtir um pouco de neve e frio.

Um dos cartões postais da cidade e parada obrigatória dos turistas é o Empire State building. Antes de chegar no observatório do 86º andar – que, diga-se de passagem, tem uma vista linda de toda Manhattan -, um rapaz do próprio local tira uma foto sua para você comprar depois e tal.

Até aí, tudo bem. O fato é que ele reconheceu a jaqueta do São Paulo que estava usando e me surpreendi com o conhecimento dele no nosso “soccer”.

Olha só o diálogo:

– Oh… São Paulo, Brazil, samba?
– Yes, that’s right!
– Luis Fabiano!
– What? Do you know Luis Fabiano?
– Yes, the best striker from Brazil.
– Of course. The best striker, the best team. But I don’t like samba.
– Oh man, really? I don’t believe.
– I prefer rock’n roll.
– Yes! You are the man! See you.
– Bye!

Fiquei me perguntando como o cara sabe que o Luis Fabiano está no São Paulo? Aqui nos EUA, o futebol é o 5º ou 6º esporte. Esse deve acompanhar mesmo. Gostei.

Bom, depois de quatro dias em NY, hora de ir para Orlando, Flórida, gastar um pouco de dinheiro na Disney e nos inúmeros outlets da cidade.